Pular para o conteúdo

Últimas Notícias

Gestão de combustível no transporte rodoviário: como fazer?

Não é novidade para os gestores das empresas de transporte rodoviário a importância deste modal no Brasil.

Afinal, trata-se do principal meio de movimentação para a locomoção de cargas em todo o território brasileiro. Prova disso foram os dados revelados pela Companhia Nacional do Transporte, que mostram que 60% do deslocamento de mercadorias são feitos pelas rodovias do país.

Além disso, os números do transporte de passageiros não são menos expressivos. Em 2019, a demanda de passageiros em rodoviárias cresceu 12% de janeiro a maio, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati).

Nesse sentido, o setor representa uma parcela grande do consumo de diesel em todo o território brasileiro, o que influencia nos gastos das transportadoras e, portanto, no valor do frete praticado por essas empresas, bem como, no caso de transporte de passageiros, na rentabilidade de toda a operação.

Com a necessidade do combustível para a locomoção, fazer a gestão de combustível na operação do transporte rodoviário é medida de ordem para reduzir o consumo desnecessário e aumentar a produtividade.

Não é exagero! O valor do combustível pode influenciar bastante o valor do frete empregado pela empresa de logística, representando de 35% a 60%. O que significa o maior custo operacional do processo logístico.

Vale lembrar que, de acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, nos últimos 5 anos, o valor desse insumo subiu 31%, de acordo com a ANP.

Assim, todos esses dados mostram o porquê a gestão de combustível é essencial para a transportadora, ajudando a absorver os impactos das variáveis, a fim de manter o fluxo de caixa positivo.

Economia de combustível

Quando falamos em economia – seja lá de qual o insumo – é importante saber o tamanho do gasto. Por isso, o gestor precisa providenciar um relatório exato de despesas.

Isso porque saber o consumo de combustível da frota é importante para precificar o frete, e até possibilitar a comparação dos valores obtidos após aplicar as medidas de economia em relação aos dados atuais, por exemplo.

Existem diversas alternativas que podem ser aplicadas pelo gestor para reduzir o consumo de combustível pela frota de veículos, a saber:

  • Estocagem;
  • Manutenção da frota;
  • Peso da carga;
  • Falhas humanas na gestão de documentos de transporte (como o CTe e o BPe, por exemplo);
  • Rota percorrida.

Em síntese, todos esses pontos podem influenciar no consumo de diesel pelos veículos que compõe a frota.

Diminua os gastos

Se a qualidade das peças, acessórios e motores não estiverem em dia, o consumo de combustível pode aumentar consideravelmente.

O pneu, por exemplo, que representa o segundo maior gasto variável das transportadoras. Isso porque, quando não são calibrados ou trocados com frequência, a resistência ao rolamento aumenta, exigindo que o motor trabalhe mais e, portanto, consuma mais combustível.

Outro fator que influencia significativamente o consumo de combustível são as boas práticas de direção, que garantem maior durabilidade dos veículos, bem como economia de outros insumos essenciais para a operação.

Nesse sentido, para controlar os motoristas, é preciso investir em softwares de gestão integrada, que garantam o monitoramento em tempo real dos veículos da frota, verificando não apenas o consumo, mas rotas e ganho por veículo. É o caso da tecnologia ERP especialista no transporte rodoviário, por exemplo.

Tudo o que você precisa saber sobre a gestão de combustível no transporte

A Praxio, que há mais de 30 anos traz soluções desenvolvidas para empresas no segmento de transporte rodoviário, preparou um E-book com as informações completas para fazer a gestão eficiente do combustível.

Conheça os principais fatores que podem interferir na média de consumo da sua frota e aprenda 20 formas comprovadas para diminuir o consumo de diesel. Baixe agora!

e-book gestão de combustível

ERP Carga e Logística

Conforme falamos anteriormente, com o auxílio de um software específico para operações de transporte rodoviário, é possível otimizar o controle de custo com diesel – e ainda ter indicadores de desempenho que auxiliam as rotinas gerenciais.

Dessa maneira, o sistema permite a visualização de dados importantes para manter a qualidade no transporte. Assim ocorre com o módulo de abastecimento do sistema, que tem como função registrar quanto combustível é gasto por veículo, garantindo o controle de performance.

Além disso, o software também tem como benefício o controle de manutenções, que previne problemas com peças como a vela de ignição, filtro de ar e troca de óleo. Vale lembrar que a falta de manutenção preventiva também torna as manutenções corretivas mais onerosas.

Em síntese, com o ERP da Praxio, é possível analisar:

  • Custos por quilômetro rodado;
  • Atualização de abastecimentos em cada veículo feito em tempo real;
  • Aferição do índice real de consumo e comparação com o que foi previsto pelos gestores;
  • Monitoramento do consumo e dos abastecimentos online;
  • Pontos de desperdício no estoque;
  • Divergências no setor de compras.

Em conclusão, o sistema de gestão integrada também traz como facilidade para o gestor o cruzamento de dados de consumo de combustível às demais despesas da empresa, como o desgaste de pneus, avaliação de problemas da operação.

Ou seja, viabilizando feedback assertivo à equipe, rapidez na extração de dados para decisões gerenciais ou solução de eventuais problemas. Permitindo, assim, que o gestor identifique as falhas mais facilmente e informações mais precisas e seguras.

Quer saber como aplicar esses benefícios na sua empresa? Então, entre em contato com o nosso time de vendas!