Pular para o conteúdo

Últimas Notícias

E-book: Como escolher ou trocar de ERP de gestão integrada no transporte

Todo profissional que atua no ramo rodoviário já sabe: alcançar excelência na rentabilidade da empresa de transporte de passageiros requer, primeiramente, operações em seu maior nível de produtividade pelo menor custo operacional.

Afinal, mesmo para conquistar e reter clientes, a eficiência nas operações é necessária. Isso porque os passageiros esperam, acima de tudo, um sistema de transporte que providencie alto nível de conforto, disponibilidade e pontualidade.

Porém, chegar neste patamar de serviço não é fácil. Ainda mais nos dias de hoje, em que tudo é facilitado pela tecnologia.

Mesmo o modo de comprar passagens já é conectado – permitindo a venda pela internet em sites ou mesmo dentro do ônibus, como a venda embarcada, por exemplo. Nesse sentido, é justamente aí que entra em cena o sistema ERP.

Neste post, abordaremos sobre as funcionalidades que um ERP focado em transportes pode oferecer, além de dicas sobre como escolher uma plataforma robusta ou trocá-la sem se perder em meio aos processos.

Vamos lá!

O que é ERP?

A sigla ERP vem de Enterprise Resource Planning que, na tradução, refere-se ao Recurso de Planejamento Empresarial.

Em suma, é uma plataforma que unifica todos os sistemas de uma empresa em um único local, que pode ser armazenado na nuvem, que é acessado por todos os colaboradores e departamentos. Assim, os dados armazenados são atualizados constantemente e em tempo real.

Ou seja, estes dados podem ser acessados por meio de computadores e dispositivos móveis.

O ERP dispõe de alto índice de disponibilidade, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Por que ter um ERP para gestão de transporte?

Conforme mencionamos, o ERP facilita o dia a dia de sua empresa.

No caso das empresas de transporte, um ERP dedicado pode mensurar os dados logísticos, que melhora potencialmente todo o trabalho da equipe de maneira automatizada.

Por ser completo, o ERP comum serve para todos os tipos de empresa, independente do porte, multinacional ou 100% brasileira.

No entanto, tudo muda de cenário quando segmentamos para o setor de transporte, que já por si só é muito diversificado.

O que um ERP para gestão de transporte tem de diferente?

Conforme falamos, o ERP para gestão de transporte foca em ferramentas específicas para o setor de mobilidade e venda de passagens, e todos os setores que envolvem a operação nessas duas frentes, ou seja, manutenção, plantão rodoviário, financeiro, entre outros.

Dessa maneira, o gestor da empresa tem em mãos, por meio do computador e de dispositivos móveis, os dados em tempo real da empresa. A saber:

  • Gerenciamento e situação da frota;
  • Disponibilidade da frota;
  • Tarifário e bilhetagem;
  • Terminais de bilhetes;
  • Gerenciamento de manutenção;
  • Consumo de combustível;
  • Manutenção dos pneus

Como escolher ou trocar um ERP focado em gestão de transportes

Agora que você já conhece um pouco mais sobre o sistema, deve ter uma ideia sobre se é necessário ou não ter um ERP de gestão integrada na empresa de transporte.

Quando chega o momento em que os gestores decidem adotar ou migrar para um sistema ERP, várias medidas devem entrar em prática.

Para ajudar nesta missão, reunimos os principais fatores que devem ser levados em conta nesta transição, a fim de tornar a implementação do software um sucesso na sua empresa de transportes. Baixe agora gratuitamente!

como escolher software de gestão e-book