Pular para o conteúdo

Últimas Notícias

Tudo o que você precisa saber sobre a carga a granel

Carga a granel é o termo utilizado para designar a mercadoria transportada sem embalagens e em grandes quantidades. Normalmente, sua movimentação ocorre por caixas, fardos, tambores ou engradados.

Também é comum que a carga a granel tenha como destino feiras e zonas cerealistas, isto é, locais que vendem os mais diferentes tipos de grãos por quilo.

No Brasil, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou em outubro de 2020 que o País produziu 268,7 milhões de toneladas de grãos (soja, milho, algodão), 4,2% a mais que em 2019.

Durante a pandemia, o setor de logística tem se destacado entre os demais, por ser um serviço essencial e que nunca parou de transportar insumos e mercadorias. São quase 220 mil empresas, dentre transportadoras, cooperativas e transportadores autônomos, que cruzam o Brasil de norte a sul com mercadorias nos caminhões.

E a carga a granel é uma das mercadorias que mais se destacam, cuja força ocorre principalmente pela potência do agronegócio brasileiro.

Existem vários tipos de carga a granel, entre sólidos e líquidos, o que exige das transportadoras cuidados específicos para a logística desses alimentos. Neste post, você verá como é possível organizar a operação e desburocratizar o transporte. Vamos lá!

O que é carga a granel?

Conforme vimos, a carga a granel é o tipo de mercadoria que não necessita de embalagens e é transportada em grandes quantidades. Na maioria das vezes, esses produtos se encontram em seu estado bruto e, em sua trajetória até o consumidor final, a carga a granel pode percorrer estradas, ferrovias e até o os rios e o mar.

Produtos do cultivo agrícola, incluindo animais vivos, fazem parte desta categoria. Também podem ser consideradas carga a granel mercadorias como combustíveis, máquinas industriais e veículos.

Nesse sentido, a carga a granel pode ser classificada em dois tipos: a sólida e líquida, como veremos a seguir.

Tipos de carga a granel

Como a carga a granel não possui embalagem ou envasamento, ela precisa ser individualizada e classificada como granel sólido ou líquido.

Cada uma tem seus processos logísticos específicos para transporte. A saber:

Granéis sólidos

Granéis sólidos são relacionados aos grãos agrícolas ou de mineração. São medidos por quilogramas e, por esse motivo, vários produtos se encaixam nesta categoria. Por exemplo:

  • Milho
  • Soja
  • Farelo de soja
  • Café
  • Trigo
  • Feijão
  • Carnes e aves
  • Arroz
  • Lentilha
  • Minério de ferro
  • Bauxita

Em resumo, são todos produtos oriundos do agronegócio e da agricultura.

Granéis líquidos

Carga a granel líquida são produtos como a água, combustível (gasolina, óleo diesel, etanol), produtos químicos diversos, óleos vegetais e sucos.

Este transporte é realizado por tanques ou cisternas, que são comumente conhecidos como caminhões-tanque. Esses veículos possuem segurança reforçada, principalmente para produtos químicos, que são considerados cargas perigosas.

A importância do transporte rodoviário na carga a granel

O transporte de cargas, no Brasil, é feito principalmente pelos caminhões, principalmente para cargas a granel sólidas e líquidas. Existe uma pequena parcela de cabotagem, que é o uso de vias fluviais, como rios, lagos e costas litorâneas, além obviamente da intermodalidade.

O transporte rodoviário prevalece, principalmente, pela enorme quantidade de estradas no País (1,7 milhão de quilômetros, de acordo com a CNT).

Ainda assim, o transporte por caminhão é o mais rentável, pois consegue realizar a entrega para o cliente diretamente.

O caminhão também é o único que consegue transportar a carga a granel para aeroportos, portos e ferrovias, uma vez que estes modais não conseguem atingir todo o país.

Como otimizar demandas e fretes de carga a granel com software de gestão

Como vimos, por ser a principal matriz de transportes, o caminhão é muito requisitado e, por consequência, possui uma enorme concorrência nas estradas.

O setor logístico já é complexo por si só, com inúmeros processos diários em uma transportadora. Justamente por esse motivo, é preciso implantar soluções inteligentes que otimizem o trabalho e não atrasem as entregas, além de garantir a segurança e a qualidade do serviço prestado.

Nesse sentido, softwares inteligentes de gestão, como é o caso do ERP Carga e Logística, da Praxio, representam um bom investimento para a transportadora.

Isso porque o ERP é o sistema responsável por garantir a integração de informações entre todas as áreas da empresa, o que não só facilita a gestão, como também a operação em si, que fica mais ágil, assertiva e, portanto, econômica.

Os dados são atualizados em tempo real, e nenhuma informação fica distorcida ou descontextualizada entre os departamentos. Isso permite uma visão ampla e real do seu negócio.

No caso do ERP da Praxio, que é específico para o transporte rodoviário de cargas, o sistema organiza tanto os processos backoffice como logísticos. Entre suas funcionalidades, podemos citar:

  • Emissão de documentos logísticos de forma automática
  • Controle de carregamento e descarregamento
  • Cotação de fretes
  • Controle de coleta
  • Monitoramento de veículos em tempo real
  • Controle de ocorrências
  • Gerenciamento de galpão via WMS integrado
  • Controle de manutenção de veículos
  • Lucratividade por cliente
  • Orçamento
  • Resultado por veículo
  • Etc.

Entre em contato com a nossa equipe de vendas, solicite uma demonstração dessa tecnologia, e concretize ganhos em produtividade no transporte de cargas a granel com a sua transportadora.