Pular para o conteúdo

Últimas Notícias

Os indicadores logísticos que toda transportadora deve acompanhar

Uma transportadora que não define os seus indicadores logísticos está fadada ao fracasso. E essa, não é só uma frase de efeito para causar impacto! Afinal, hoje, quem trabalha sem dados precisos nas mãos corre o sério risco de não ter impressão realista de suas operações.

O mercado moderno, que exige agilidade nas resoluções de ocorrências e nas tomadas de decisão, os dados realizam o papel central de todo este espetáculo. Em outras palavras, quando a nossa operação logística passa a ser transcrita em números e gráficos, em vez de achismos, temos uma noção mais acurada da realidade.

Estes dados são conhecidos como Indicadores Chave de Desempenho, que em inglês são chamados de Key Performance Indicators, ou simplesmente KPI’s. Fundamentais na gestão, estes tipos de indicadores são métricas servem para avaliar e medir periodicamente o desempenho dos processos chave de uma empresa. Assim identificando o que pode ser melhorado ou eliminado.

A rotina de uma transportadora, independente do porte, é complexa. No geral, todas buscam a melhor eficiência possível ao realizar as suas entregas, evitando o consumo excessivo de combustível e a vida útil dos pneus.

Estes, em todos os casos, são os insumos mais onerosos das transportadoras, uma vez que o preço do óleo diesel e dos pneus sofrem alterações de tempos em tempos, e variam de acordo com as cidades.

Por isso, o gestor da transportadora deve se atentar, acima de tudo, nos KPI’s que deseja trabalhar durante um determinado período. Entretanto, diversas dúvidas pairam no ar: quais usar? Como usar? E, por fim, como que se mede o desempenho logístico?

Neste post, abordaremos sobre os principais indicadores logísticos, quais são os principais dentro da realidade do transporte rodoviário de cargas e como você pode mensurá-los com a ajuda de um software inteligente de gestão.

Indicadores logísticos: quais são os principais e como definí-los

Os indicadores logísticos servem para rastrear, visualizar e otimizar todos os processos que dizem a respeito do departamento de logística. Cada transportadora define o seu próprio KPI, que pode ser o tempo de entrega de um produto, o custo por frete e assim por diante.

Conforme mencionamos, estes KPI’s medem a performance organizacional, extraindo determinados tipos de informações para garantir que todos os níveis hierárquicos da empresa caminhem na mesma direção. Do motorista ao CEO, sem exceção.

Vamos conhecer agora os principais KPI’s logísticos, os quais devem ter um maior nível de atenção pelo gestor ao serem colocados em prática. A saber:

Índice de ocorrência ou Perfect Order Rate

O índice de ocorrência é um tipo de KPI que deve estar presente na rotina de trabalho de todo gestor logístico, afinal ele representa o número de problemas que ocorrem no dia-a-dia, como avarias, extravios e os roubos de cargas, por exemplo.

Tais situações promovem impacto imprevisto e direto sobre os custos, vendas e a própria satisfação do cliente. Esta última define a reputação da empresa, uma vez que a sua sobrevivência depende da constante avaliação dos usuários.

Estes números devem ser bem controlados e avaliados, pois servem de base para as tomadas de decisão importante.

Tempo de entrega

Com este KPI, torna-se possível rastrear o tempo necessário para que um pedido seja preparado e entregue ao seu destino. A sua medição acontece a partir do momento em que o pedido é feito até chegar na porta do cliente.

Ou seja, a transportadora consegue ser mais precisa na hora de oferecer prazo aos seus clientes. O que isso significa? É melhor dizer que um pedido chegará entre 4 e 5 dias úteis do que 1 a 5 dias úteis.

Custo de Armazenagem

O segredo de ter um depósito que não onere a transportadora é mantê-lo sempre em atividade, com produtos em rotatividade constante. Não são todas as transportadoras que possuem o seu próprio galpão, e isso é um ativo que custa muito dinheiro.

Assim, ter um galpão “parado”, com poucas saídas, é simplesmente péssimo para a transportadora. Os custos de armazenagem medem justamente ao dinheiro alocado às mercadorias transferidas para o depósito ou fora dele.

Tais despesas cobrem custos de equipamento, energia e aluguel, além de armazenamento e carregamento de mercadorias, mão de obra, remessa e entrega. Como o galpão é uma área vital da logística, o gestor deve medir e revisar seus custos regularmente.

On-time Delivery (OTD) ou Entregas no Prazo

O On-time Delivery (OTD) consegue indicar possíveis problemas no processo de atendimento de pedidos. Ou seja, este indicador faz a relação entre os pedidos entregues dentro do prazo estipulado e o total de pedidos.

Portanto, quando este KPI está muito baixo, quer dizer que existem problemas operacionais e processuais que devem ser corrigidos. Podemos citar por exemplo um planejamento desatualizado, sistemas de recebimento de pedidos insuficientes para a demanda, etc.

Giro de estoque

Este KPI faz o cálculo da quantidade de vezes que os estoques da empresa foram utilizados durante determinado período de tempo, como uma forma de avaliar a aceitação dos produtos da organização pelo seu público-alvo.

Além disso, é possível realizar a medição do estoque, ou seja, a diferença de informações que estão no sistema de controle e no estoque físico real. Para que fique o mais realista possível, este número deve estar sempre o mais próximo de 100%.

ERP para auxiliar nos indicadores logísticos de performance

O ERP, da sigla Enterprise Resource Planning, é um software inteligente de gestão baseado em cloud computing que coleta todas as informações dos departamentos de uma empresa e os aloca em uma única plataforma, acessível a todos os colaboradores.

Estes dados coletados são: financeiro, recursos humanos e banco de dados, entre outros. Como estão disponíveis em tempo real, são atualizados constantemente e dispensam o uso das velhas planilhas de Excel.

Para o setor logístico, a Praxio desenvolveu ERP’s específicos para o transporte rodoviário de cargas, que realizam todas as funções padrão de um ERP, com o diferencial em coletar as informações logísticas e operacionais da transportadora.

Ou seja, se a sua empresa deseja definir os principais KPI’s, eles são visualizados com facilidade no ERP Cargas, seja o giro de estoque, tempo de entrega, custos de transporte e de armazenagem, documentos de transporte, dentre muitos outros.

O ERP Cargas pode ser acessado de qualquer computador ou dispositivo móvel dotado de Internet 3G/4G. Os dados estão disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana, e certamente ajudarão o gestor da transportadora a tomar as melhores decisões.

Se interessou? Entre em contato agora mesmo com a nossa equipe de vendas e solicite uma demonstração de nosso software.