Pular para o conteúdo

Últimas Notícias

Inovação e mobilidade: o papel da TI na empresa de transporte

A importância da TI no transporte não é algo possível de se ignorar mais. A digitalização das tarefas diárias não se restringe ao lazer e se tornou algo essencial para o bom andamento das operações do transporte.

Atravessar a crise econômica ocasionada pelos recentes eventos mundiais do novo coronavírus é um desafio imenso para todos os setores. Buscar soluções para aplacar os impactos nunca foi tão necessário como agora. Nesse cenário, o setor de tecnologia ganha nova roupagem para dar suporte às empresas de transporte.

Entretanto, essa digitalização avança a passos mais lentos no Brasil. Muitas empresas ainda possuem resistência em digitalizar seus sistemas, ou simplesmente não sabem por onde começar a transição.

Há ainda quem não compreenda o que de fato significa a TI no transporte, reduzindo a tecnologia a apenas uma interface rudimentar sem grandes vantagens para empresa e clientes. Tudo isso parte do desconhecimento do verdadeiro potencial competitivo que a TI possui.

Tecnologia: ferramenta para mobilidade

As deficiências estruturais no setor de transportes se tornam ainda mais visíveis ao pensar a digitalização como uma realidade para o agora. Comodidades já simples e de fácil implementação e utilização ainda não são usadas em sua totalidade. A bilhetagem é um exemplo gritante disso.

A TI no transporte tem capacidade e visa promover a integração de diversas informações pertinentes à operação. Gestão de frota, bilhetagem, telemetria, venda embarcada, entre outras funcionalidades entram para a conta da possível expansão promovida pela tecnologia da informação.

Essas automatizações tem potencial de diminuição de custos e possibilidade de novas receitas para as empresas de transportes. E, para além da empresa, tem a comodidade e facilidades promovidas aos passageiros, que aumenta exponencialmente o potencial competitivo da empresa.

TI no transporte: integração

Apesar de a digitalização demandar investimento inicial para a transição, a TI no transporte vai muito além de vender novos recursos e ferramentas. Através da integração de recursos já existentes, é possível otimizar a operação.

Utilizar um mesmo recurso para além de sua função base é o grande segredo para promover um melhor uso da tecnologia da informação no transporte. É possível fazer isso, por exemplo, com as câmeras de monitoramento.

Pode ser utilizado com um software que faça uso das câmeras já existentes para realizar a contagem de passageiros. Dessa forma, é possível prever demandas, horários e dias de maior circulação, para ampliar a oferta de veículos e atender melhor o cliente.

Assim, o aumento da receita é uma consequência do bom uso dos recursos tecnológicos já existentes, somados à gestão facilitada por meio de softwares especialistas.

A integração de recursos torna possível para empresas de diferentes portes se atualizarem. Esse uso da TI no transporte, é ainda o responsável pela geração de dados para melhorias na gestão de frotas e da empresa como um todo.

3 tendências em TI no setor de transporte público

  1. Big Data 

Big data é o grande fluxo de informações que uma empresa possui através da tecnologia. Grandes dados. Assim, o big data na TI no transporte pode prover ao gestor uma visão mais ampla sobre os melhores caminhos para a empresa. 

Dados de diferentes origens dentro do sistema podem ser cruzados e analisados instantaneamente para promover uma melhor experiência e horizonte para o negócio.

Estima-se que até 2022, o recurso seja o responsável pela geração de US$274 bilhões. Um valor extremamente alto e impossível de ser ignorado. Isso revela a importância de saber fazer bom uso do big data dentro das empresas.

Porém, não basta ter um grande volume de dados e informações; é preciso saber o que fazer desses dados e informações e a maneira como a TI organiza-os para otimização de recursos, pois é ele o responsável pela reformulação dos negócios atualmente.

  1. Transporte sob demanda (MaaS)

Parte do mesmo princípio do EaaS (Everyhing as a Service – Tudo como serviço), o transporte coletivo sob demanda já é uma realidade há alguns anos em países da Europa. 

A ideia é que o usuário defina o trajeto por meio de uma plataforma digital, que cruza os dados inseridos com os dados de outros usuários e dos ônibus disponíveis para aquela rota. Então, o cliente reserva um assento, acompanha o trajeto via app e faz suas viagens de maneira mais confortável do que nos transportes tradicionais.

Isso só é possível porque o aplicativo da plataforma conecta através dos algoritmos todos os passageiros que estão indo na mesma direção. Eis a TI aplicada ao transporte coletivo.

A Praxio possui uma forte parceria com a Ubus e promove o transporte coletivo sob demanda no Brasil. 

  1. Omnichannel (SaaS)

Omnichannel é a interligação de diferentes canais de comunicação de forma integrada, simultânea e atualizada em tempo real. É a grande tendência no mercado de vendas em geral, porque promove comodidade e dá mais opções de compra e conforto aos clientes.

Dentro da realidade de TI no transporte, o omnichannel significa controle sobre a demanda, e maiores canais de venda. O passageiro pode comprar passagens nos canais tradicionais de venda ou via aplicativo, autoatendimento, agências de viagem, entre outros.

Conheça a plataforma Praxio – Luna de venda para múltiplos canais através da qual é possível trabalhar com modalidades de venda embarcada e guichê POS. 

TI como suporte no transporte rodoviário

É importante ressaltar que o setor de transporte rodoviário possui especificidades muito claras. Logo, a TI no transporte também deve ser específica e simplificada para o gestor de empresas de transportes.

No entanto, há muitos detalhes operacionais que ferramentas de tecnologia generalistas podem não contemplar. Afinal, não são pensados para atender à necessidade do segmento de transportes. O que ocorre nesses casos é que a digitalização acaba se tornando onerosa para o gestor.

Do mesmo modo, a personalização de sistemas comuns para um sistema que atenda a empresa de transportes, além de ser um investimento caro, compromete a eficiência do software, gerando mais problemas no lugar de soluções.

É por isso que já existem softwares feitos sob medida para setores específicos do mercado. No caso do transporte rodoviário, de passageiros, por exemplo, o gestor pode contar com a tecnologia Praxio. 

Tecnologia de informações no transporte rodoviário

A Praxio, empresa de tecnologia especialista no setor de transporte rodoviário há mais de trinta anos, possui ERP robusto que atende todas as principais demandas no que diz respeito à TI no transporte.

O ERP – Globus, integra todos os setores de backoffice, como financeiro, RH, contabilidade, entre outros, além de contar com módulos para gestão operacional, como escala, arrecadação, bilhetagem, manutenção, etc. 

Além disso, a Praxio oferece cursos e treinamentos para pessoas das

empresas de transporte se capacitarem e utilizarem ao máximo a tecnologia, bem como otimizar métodos em suas funções.

Agora que você já sabe mais sobre as últimas tendências em tecnologia da informação no transporte, que tal agendar uma demonstração com um de nossos consultores e conhecer a tecnologia na prática?