Pular para o conteúdo

Últimas Notícias

Como melhorar gestão veicular na frota de ônibus? Evite 7 erros na operação

A gestão veicular na frota de maneira otimizada é um grande desafio para as empresas. Para organizações de transporte de passageiros, esse desafio pode ser ainda maior. Isto é, devido às grandes oscilações e sazonalidades do setor, gestores precisam se atentar ainda mais sobre como gerir o negócio.

Seja como for, a modalidade de transporte rodoviário é a mais utilizada no país. Entretanto, segundo dados da CNT (Confederação Nacional de Transportes), demonstram que o setor apresentou queda.

Estima-se, por exemplo, que entre janeiro e setembro de 2020 foram transportados 25,1 milhões de passageiros. Em contrapartida, no mesmo período de 2019 foram transportados 58,8 milhões de passageiros. Ou seja, a queda foi de 58%. 

Assim sendo, a partir de maio de 2020 o setor começou a apresentar uma leve tendência de recuperação. Porém, não é aconselhável que a gestão perca de vista que, independente das oscilações de mercado, e da crise ocasionada pela pandemia, o setor é competitivo. 

Portanto, melhorar a gestão veicular otimizando a frota é essencial tanto nesse momento de retomada da economia, como a longo prazo para evitar perda de receita.

O que é gestão veicular?

Uma boa gestão veicular tem a capacidade de evitar prejuízos à empresa. Assim como de gerar novas receitas por meio da otimização do uso dos veículos disponíveis. 

Gestão veicular de frotas seria, portanto, a gerência dos veículos disponíveis em uma empresa de transportes. Dessa maneira, a utilização desses veículos corrobora para a melhoria dos serviços prestados, geração de novas receitas e evitar o desperdício de recursos.

A gestão veicular pode ser feita através da centralização dos dados da frota. Juntamente com um planejamento estratégico para que a frota trabalhe a favor da empresa de transportes.

É importante ressaltar que a gestão veicular não diz respeito apenas às empresas de transportes com grandes frotas. Afinal, toda empresa necessita aprimorar os seus recursos para expandir e crescer.

7 perdas que a falta de gestão veicular pode causar 

Para ressaltar a importância da gestão veicular separamos as principais perdas que a falta dessa gestão costuma causar. Acompanhe:

1. Utilização indevida dos veículos

É inegável que existe uma série de fatores que contribuem para as perdas dentro de uma empresa de transportes. Entre eles, destaca-se a utilização indevida dos veículos. Isto é, os motoristas dirigindo de maneira que coloque a si e aos passageiros em risco.

Consequentemente, isso acaba gerando uma imagem negativa da empresa de transportes. E por fim, pode ocasionar acidentes e danos ao veículo. O que resulta em perda de atividade. Afinal, o veículo ficará dias em manutenção.

2. Despreparo da equipe

O gestor antenado às tendências de mercado e gerência assertiva sabe: o melhor material a se investir é o time. Ou seja, uma equipe despreparada para trabalhar a favor da gestão veicular gera perdas para a empresa de transportes.

3. Falta de uma rotina de manutenção

A manutenção é essencial para uma boa gestão veicular. Além disso, ter uma cultura de manutenção preventiva dentro da empresa de transportes instaura o cuidado a se ter com os veículos.

Ou seja, se a empresa cuida muito bem da frota, os colaboradores percebem que a empresa se importa com os veículos e com a segurança deles. Portanto, os motoristas, por exemplo, passam a cuidar melhor da própria maneira de conduzir.

Ademais, uma rotina de manutenção evita que haja pane na frota. Afinal, veículos com manutenção em dia evitam acidentes, multas e, em casos mais graves, apreensão dos mesmos.

4. Combustível

O preço do petróleo é o primeiro a subir diante da iminência de uma crise econômica. Estima-se que 30% da receita de uma empresa de transportes seja com combustível.

Não ter uma boa gestão veicular, portanto, inclui também não ter uma boa gestão sobre esse gasto. 

5. Não monitorar os veículos

Um outro aspecto que gera perdas dentro de uma empresa de transportes é não monitorar a frota à distância. Isto é, não ter um bom controle sobre os veículos quando eles saem da garagem abre margem para o mau uso dos veículos.

Assim como, pode ocasionar atrasos, manchando o nome da empresa perante aos clientes.

6. Não usar tecnologia 

A tecnologia é uma forte aliada no quesito gestão veicular. Ainda assim, muitas empresas optam por não utilizar ferramentas que ajudem na gestão. Portanto, auto inflige-se perdas para a organização.

É comum, principalmente, mas não excepcionalmente, que empresas menores ainda utilizem controles manuais para fazer a gestão veicular. Como resultado, a empresa deixa de crescer e ainda sofre com perda de receita.

7. Softwares diferentes

Por outro lado, existem empresas que até fazem uso da tecnologia através de softwares. Entretanto, são softwares separados por setor e que não se integram. Apesar de usarem a tecnologia para facilitar algumas tarefas, usar uma ferramenta para cada setor também gera perdas.

Afinal, se o setor financeiro não tem comunicação e integração com o setor de manutenção, ocorre um desalinhamento na troca de informações. Resulta-se, então, na demora para realizar processos, o que ocasiona perdas devido à falta de assertividade.

Qual o papel do motorista na gestão veicular?

O motorista é a “cara” da empresa. É ele que tem mais contato com o cliente final. Da mesma forma que é o motorista o primeiro a avisar caso aconteça algum problema mecânico com o veículo.

Sendo assim, o motorista deve ser um parceiro do gestor em todas as suas atividades. Da mesma forma, é o motorista o colaborador que cuida do patrimônio que faz a empresa ter ganhos (e perdas): o veículo. 

Por exemplo, caso a direção do motorista não seja boa, os limites de velocidade não sejam respeitados, ou ainda pior, o motorista não seja assertivo, gentil, no trato com os passageiros, não há gestão veicular que melhore a situação. 

Portanto, investir no treinamento desses profissionais e na reciclagem dos mesmos através de cursos é essencial para que toda a cadeia de gestão alcance o sucesso. Em suma, o papel do motorista na gestão veicular é de infinita importância e deve ser encarado como tal. Tanto pela empresa quanto por ele mesmo.

Como a gestão de manutenção pode ajudar a gestão veicular?

A gestão de manutenção é uma das grandes dicas para auxiliar a gestão veicular. Afinal de contas, a gestão de manutenção interfere diretamente na gestão veicular como um todo.

A boa gestão veicular depende de diversos fatores que resvalam, com certa frequência, nos custos financeiros do negócio. Sendo assim, uma boa gestão de manutenção, com um cronograma de manutenção periódica a ser seguido, evita que a empresa tenha gastos maiores.

7 dicas para a correta gestão veicular na frota de ônibus

Agora que você já sabe a importância da gestão veicular na frota de ônibus, acompanhe as dicas que nós separamos para você, gestor, otimizar a maneira como gerencia sua frota:

1. Capacitação profissional

Como foi possível ver, a capacitação dos profissionais da empresa de transportes é tão importante quanto o bom estado dos veículos. Em suma, investir na capacitação e reciclagem dos funcionários da empresa fará com que a gestão veicular seja feita da melhor maneira.

2. Gerenciar custos por viagem

Como cada viagem tem suas especificidades, os custos se diferem. Ter um bom gerenciamento desses custos significa controlar a quilometragem, os custos com combustível e funcionários.

Além disso, é preciso calcular e gerenciar da melhor maneira o desgaste das peças e possíveis manutenções. Tudo isso colabora para uma gestão financeira assertiva, o que ocasiona na gestão veicular assertiva.

3. Monitoramento por geolocalização

A fim de que se evite desvios de rota e atrasos inesperados, o monitoramento por geolocalização é uma excelente ferramenta para a gestão veicular. Nesse sentido, é possível realizar roteirização de viagem para otimizar a rota percorrida, e, assim sendo, monitorar se o veículo de fato cumprirá o trajeto proposto.

Ademais, com o monitoramento por geolocalização é possível ter uma coletar dados sobre o gasto com combustível. Essas soluções em tecnologia podem ser adaptadas pelo rastreamento ou monitoramento via satélite.

4. Monitoramento por câmera

Infelizmente, a preocupação com a segurança do motorista e passageiros deve ser levada em consideração. Juntamente com o monitoramento via GPS, ter câmeras instaladas nos veículos permite que o gestor consiga visualizar o que acontece nas viagens.

Além disso, com câmeras registrando as viagens é possível ter provas em caso de acusações feitas contra a empresa.

5. Registre e atualize cadastros de veículos e motoristas

Ao registrar e/ou atualizar o cadastro dos veículos e motoristas a gestão veicular se torna mais simples. Isto porque, se torna possível medir o desempenho por motorista e por veículo. Ou seja, se determinado motorista usa mais combustível, se determinado veículo leva mais multas, etc.

6. Gastos com manutenção

A importância da manutenção para uma boa gestão veicular já está posta. Dito isso, investir em uma ferramenta de automação para gerenciar a periodicidade das manutenções por veículo é uma excelente forma de gerenciar os gastos com manutenção.

7. Tenha um software de gestão integrada

Invista em um bom software de gestão integrada com sistema nativo. Afinal, ter os dados não adianta muito se eles não estiverem integrados. Em outras palavras, um software para o setor financeiro e outro para o setor de compras, não significa usar a tecnologia a seu favor na gestão veicular.

Isto é, ter um software de gestão integrada possibilitará uma gestão mais assertiva e tomada de decisões baseada em dados reais. Em suma, o software precisa estar em constante comunicação em tempo real para trabalhar a favor da empresa.

A Praxio, possui através do ERP Globus gestão de escala, arrecadação, bilhetagem, terminal web entre outros. Assim como, gestão de frota, oficinas, combustível e manutenção. 

Disponível para operações urbanas, rodoviárias e de turismo, o ERP – Globus conta com indicadores de desempenho e a experiência de quem tem mais de 30 anos de atuação no setor. Conheça nossas soluções ao conversar com um de nossos consultores!