Pular para o conteúdo

Últimas Notícias

Como controlar custos logísticos do transporte rodoviário de cargas

Os custos logísticos do transporte rodoviário de cargas são a prioridade de gestão em qualquer transportadora, seja na definição do valor de frete ou então no controle de despesas na operação.

Afinal, é com essa organização que a transportadora pode elevar a produtividade e aumentar sua margem de lucro.

No entanto, em tempos de crise e economia instável, somados com o alto nível de exigência do consumidor moderno e a alta competitividade, as transportadoras precisam otimizar todo o seu trabalho com práticas enxutas e inteligentes.

A falta de planejamento logístico de uma empresa pode (e traz!) grandes despesas, resultando em um fluxo de caixa negativo, bem como na perda de clientes e baixa competitividade.

Dessa maneira, é preciso adotar práticas que otimizem as operações na cadeia de suprimentos, tornando os processos mais eficientes. Logo, essas táticas são cruciais para que a transportadora reduza os seus custos, ganhando maior destaque e relevância no mercado.

No post de hoje, daremos dicas de como sua transportadora pode obter um maior controle do seu custo logístico, para que assim ofereça melhores serviços de entrega e, dessa forma, aumente os seus lucros e ganhe mais destaque no mercado.

Primeiramente, vamos definir o que são os custos logísticos e quais são os principais que o gestor de sua transportadora deve se atentar.

O que são custos logísticos?

Na visão dos transportes, os custos logísticos são todos os gastos relacionados à atividade de movimentação de carga e matéria-prima de um negócio.

Se aprofundarmos um pouco mais, veremos que os custos logísticos representam entre 5 a 35% das vendas, dependendo do tipo de negócio, da área de processamento e da proporção de valor de uso dos materiais e produtos em questão.

Dentro de uma empresa, a maior cifra de custo é o logístico e, mesmo assim, é vital para o próprio funcionamento de uma companhia.

Portanto, para potencializar prazos e receitas, as empresas precisam compreender os seus custos logísticos essenciais para que possam buscar formas de aprimorar essas despesas, estudando alternativas mais interessantes sem comprometer a qualidade do serviço.

Quais são os principais custos logísticos?

Estoque e Armazenagem

No caso do estoque e armazenagem, os custos dependem da quantidade de produtos que a empresa trabalha, bem como do tempo que uma mercadoria precisa ficar alocada.

Ou seja, quanto maior o tempo de armazenagem, maior é o seu custo.

Há os principais gastos com estoque nas empresas, a saber:

  • Custo do produto;
  • Custo da falta de produto;
  • Custo de manutenção.

Por isso, é essencial que o gestor da empresa realize um controle de estoque eficaz, para que um empreendimento atinja o equilíbrio entre a oferta e a demanda, o que envolve também o setor de compras.

Transportes e Fretes

O custo dos transportes é um dos maiores, principalmente das empresas que possuem frota própria.

Algumas das principais despesas de transporte são, por exemplo:

  • Aquisição de veículos;
  • Manutenção;
  • Ociosidade;
  • Depreciação;
  • Combustível;
  • Documentação em dia

Ademais, sabe-se que a maior parte da produção no Brasil, além de entregas internacionais, são realizadas pelo transporte rodoviário.

Isso acarreta no tráfego de longas distâncias feitas por caminhão, o que contribui para seu desgaste rápido. Além disso, há os riscos que são expostos diariamente (roubo de cargas, acidentes, etc.).

Tributação

Todos nós sabemos, infelizmente, que o Brasil é um dos países que possui a mais complexa legislação tributária e, portanto, um grande número de encargos.

Nesse sentido, caso não haja planejamento de custos e a manutenção de impostos em dia, a transportadora pode falir. Ou então, ser proibida de atuar no mercado.

No transporte, os principais custos tributários são:

  • IRPJ – Imposto de Renda Pessoas Jurídicas: tributo federal calculado com base no lucro real, presumido ou arbitrado da empresa, de acordo com seu regime de sociedade;
  • CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido: semelhante ao Imposto de Renda, sua taxação também varia de acordo com o regime de tributação adotado pela empresa;
  • PIS/PASEP – Contribuição para os Programas de Integração e Formação do Patrimônio do Servidor Público: esse imposto é recolhido mensalmente sobre o faturamento total das empresas dentro do período de um mês. Assim, a alíquota pode variar entre 0,65% e 1,65%;
  • Cofins – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social: da mesma forma que o tributo anterior, este também é calculado com base no faturamento das empresas. Nesse sentido, a contribuição varia entre 3 a 7,6%;
  • IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados: tributo que incide sobre a produção de qualquer tipo de mercadoria e que possui alíquotas variadas;
  • ICMS – Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal: esse tributo estadual está relacionado à circulação de mercadorias, serviços de transporte, entrada e saída de cargas, bem como fornecimento de produtos e outras atividades. As alíquotas mudam de acordo com as diferentes regiões;
  • ISSQN – Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza: é um imposto municipal que deve ser pago por prestadores de serviço, tanto empresas quanto autônomos.

Gestão de custos na prática

Para fazer o controle de custos na transportadora de forma precisa, você pode seguir algumas dicas de mercado, que reunimos no e-book abaixo. Clique para fazer o dowload!

ERP Carga e Logística

Uma das maneiras de otimizar todo o seu custo logístico e otimizá-lo ao máximo é adotar a implantação de um software robusto para gestão empresarial. O ERP Carga e Logística, da Praxio, é uma ótima ferramenta para este fim.

Desenvolvido especificamente para o transporte rodoviário de cargas, este ERP unifica todos os dados logísticos de sua empresa, como por exemplo:

  • Manutenção de Frota;
  • Armazém;
  • Custos de combustível;
  • Gerenciamento de vida útil dos pneus;
  • WMS;
  • Etc.

Além disso, unifica todos os dados do backoffice padrão de toda empresa, como o setor financeiro, RH, compras, vendas, marketing, diretoria, etc.

Os dados são alocados em um servidor que pode ser hospedado na nuvem, e fica disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. Pode ser acessado por todos os gestores e colaboradores da empresa, por meio de computadores e dispositivos móveis.

Com o ERP Carga e Logística da Praxio, sem dúvidas o gestor consegue dados precisos de seu custo logístico, podendo então tomar decisões assertivas e, assim, ter folga para novos investimentos!

Se interessou? Entre em contato com a nossa equipe de vendas agora mesmo.